terça-feira, 4 de junho de 2013

"Cada ovo comido é um pinto perdido.“
                 Você já deve ter ouvido a palavra procedimento e é possível que, naturalmente, ela lhe remeta a palavra regra. Porém antes de enxergá-la como regra, entenda que procedimento é ou deveria ser uma forma lógica, menos desgastante física, mental e espiritual de se realizar determinada tarefa.
            Regra remete também a burocracia, que seria a forma chata, porem necessária de se organizar e documentar um procedimento.
          Procedimento, regra e burocracia aparentemente nos leva para algo tão enfadonho e desmotivante chamados de “esperar algo” ou de “perda de tempo para coisas simples”. E no modelo que encontramos corriqueiramente no mercado, o são!
      Estabelecer procedimentos, ou seja, planejar processos são ferramentas importantíssimas para quem pretende obter sucesso com os seus cliente. É mais importante do que ofertar treinamento para seus funcionários. Pois não faz sentido a comissão de frente ter autonomia de negociação e flexibilização no atendimento, se as regras ainda não foram estabelecidas.
        Planejamento de processos é o primeiro passo em busca da descentralização, pois é o inicio do estabelecimento do plano de controle, sendo a grande alavanca do desenvolvimento de qualquer negócio que almeja a prosperidade sadia. Ao contrário do que muitos pensam ele é capaz de gerar autonomia para que cada funcionário desenvolva melhor seu trabalho.Observem que se a empresa não está estruturada para receber colaboradores capacitados que ajudem a desenvolver processos mais lógicos, ela acaba por dar um tiro no pé no momento em que os envia para uma sala de aula, recebendo como resultado, críticos insatisfeitos em uma estrutura engessada e com excessos de zelos sem motivos justificados.
      É bem comum obtermos respostas do tipo “é assim que é feito, porque sempre foi assim!”, bem infantil e que demonstra a falta de entusiasmos em se buscar a melhoria continua.
   Algo ensinado desde cedo quando se estuda marketing, é que não adianta fazer propaganda e gerar uma demanda para uma estrutura de atendimento, que não esteja preparada para demonstrar ser uma empresa competente, feliz e preocupada realmente com o cliente. Isso produz, uma equação com resultado negativo a curto prazo, ou seja, antecipa a um maior numero de pessoas o conhecimento de sua incompetência.
     Queimar etapas, chamar o cliente para participar de algo que não estar pronto, pode até resultar momentaneamente em dinheiro no caixa, mais a médio prazo, de fato afastará os consumidores que provaram de um atendimento mau sucedido, ou seja, cada ovo comido é um pinto perdido. 
      Faça a escolha.

Leu? Coloque sua opinião aqui embaixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário